terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Getúlio Vargas: o julgamento de Gregório Fortunato

Gregório Fortunato, ouve de pé, cabisbaixo, e já sem a arrogância com que se mantivera durante o julgamento, a sentença de sua condenação a 25 anos de reclusão

GREGÓRIO FORTUNATO FOI CONDENADO ONTEM À 25 ANOS DE RECLUSÃO
Apresentando boa fisionomia, o “Anjo Negro” sorriu cinicamente quando ouviu a sentença – Terminou o julgamento às 5 horas.
Rio, 12 – (Asapress) – Era precisamente 4 horas da madrugada de hoje quando o presidente do 1º Tribunal do Júri, dr. Souza Neto, suspendeu os trabalhos do julgamento de Gregório Fortunato, conduzindo os jurados até a sala secreta para que fosse dado o seu “veredictum”. 55 minutos depois, iniciava o presidente do Tribunal a leitura da sentença, que foi ouvida pela grande assistência em meio à intensa expectativa.

Gregório Fortunato havia sido condenado à 25 anos de reclusão, sendo a pena assim distribuída: 11 anos pela participação no homicídio do major Rubens Florentino Vaz; 12 anos pela tentativa de homicídio contra Carlos Lacerda, e dois anos por lesão corporal ao guarda municipal Sálvio Romeiro.

O “Anjo Negro”, aparentando boa fisionomia, sorriu cinicamente quando ouviu a sentença, após o que apertou a mão do seu advogado, dr. Romeiro Neto, que teve uma defesa brilhante na defesa do principal acusado do crime da rua dos Toneleros.

O advogado Romeiro Neto, ao terminar sua oração, foi aplaudido por grande parte da assistência pela maneira como se conduziu e como situou o crime da rua dos Toneleros. Terminou pedindo para seu constituinte a pena somente por tentativa de homicídio contra o jornalista Carlos Lacerda, isentando-o de culpa na morte do major Rubens Vaz e no ferimento do guarda municipal Sálvio Romeiro. Entretanto, o corpo de jurados houve por bem classificar o réu como participante dos três crimes que condenaram Alcindo e Climério a 33 anos de prisão, apenas com uma diferença de 8 anos para menos.

ESPERADA UMA REAÇÃO DO GAL. MENDES DE MORAIS
Rio, 12 – (Asapress) – Os círculos políticos locais estão com sua atenção voltada para a parte do depoimento de Gregório Fortunato em que o general Ângelo Mendes de Morais e o falecido deputado Euvaldo Lodi foram fortemente acusados como principais mandantes do crime da rua dos Toneleros.

Disse Gregório que foi procurado pelo general Mendes de Morais, em Petrópolis, para que fizesse um “serviço” em Carlos Lacerda, pois ele precisava “calar a boca”. Disse mais Gregório que, a princípio, recusara a empreitada, porém, dada a insistência do general aceitou-a, tendo convidado para auxiliá-lo Climério Euribes de Almeira, que, por sua vez, contratou Alcino João do Nascimento.

Desse modo, espera-se, como é natural, uma reação do ex-prefeito carioca, que procurará se defender da acusação que lhe foi imputada pelo “Anjo Negro” do Catete perante um público numeroso e através de quase todas as emissoras do Brasil.

Assim como Mendes de Morais, também a família do extinto deputado Euvaldo Lodi deverá pronunciar-se sobre a declaração de Gregório.

SERÁ PEDIDA A ANULAÇÃO DO JULGAMENTO
Rio, 12 (Asapress) – O sr. Romeiro Neto, que, juntamente com o sr. Carlos de Araújo Lima, funcionou, no Tribunal do Júri, na defesa de Gregório Fortunato, declarou esta manhã a reportagem que vai pedir a anulação do julgamento. Eis, textualmente, o que nos disse s.s: “A tese de defesa foi vitoriosa no Tribunal do Júri, porquanto os jurados reconheceram o excesso de mandato relativo à morte do major Rubens Vaz. Entretanto, dada a redação do quesito referente a agravante da paga, o Júri reconheceu-a por 4 votos, na primeira série alusiva ao atentado contra o jornalista Carlos Lacerda. Apesar disso, o juiz Souza Neto exasperou com o exagero da pena aplicada, que não poderia ultrapassar, na sua totalidade a 20 anos de reclusão.

A deficiência da redação dos quesitos, contra o qual protestei, dará lugar à anulação do julgamento; dentro do prazo legal, interporei, por isso o competente recurso da decisão do Júri e estou certo de que levarei Gregório Fortunato a novo julgamento perante aquele Tribunal.

MANIFESTA-SE CARLOS LACERDA SOBRE A PENA
Rio, 12 (Asapress) – O deputado Carlos Lacerda, falando à reportagem a respeito do resultado do Júri que nesta madrugada condenou Gregório Fortunato a 25 anos de prisão, como autor intelectual do atentado da rua Toneleros, declarou: “Não tenho comentário a fazer, senão dizer o seguinte: o Júri tem demonstrado a sua prudência e firmeza. Há um fato demonstrativo, que decorre da lição que o povo está recebendo: as punições vão diminuindo à medida que sobem os escalões. Gregório menos que Alcino, e os superiores a Gregório, nada”.

“HABEAS CORPUS” PARA ALCINO
Rio, 12 (Especial) – O advogado Humberto Teles impetrou ordem de “habeas corpus” a favor de João Alcino do Nascimento.

Alega o impetrante a incompetência do Tribunal do Júri para julgar os crimes cometidos contra a vida, não repousando no simples evento da morte, pois pode haver esta e o fato de fugir á competência do Tribunal Popular. Argumenta que o “atentado da rua dos Toneleros, nada mais foi que um episódio da luta política. O deputado Carlos Lacerda, na época, desenvolveu campanha contra o governo Vargas, liderando um agrupamento político partidário, com violenta linguagem ao mesmo tempo em que tramava a própria destruição das instituições, arrastando a Nação à agitação e ao desatino, com risco de uma sangrenta convulsão social”. Diz que foi um crime político, negá-lo seria negar a sua própria evidência.

O promotor Araújo Jorge, a propósito do pedido de “habeas corpus” levado ao Tribunal de Justiça pelo advogado de Alcino, comentou: “Esta é uma atitude infantil do advogado, diante dos próprios fundamentos dos autos, pois crime é aquilo que não está escrito na lei penal”.

Sabedor do episódio, o sr. Humberto Teles, patrono de Alcino, declarou numa roda no júri: “O promotor é um tolo; o assunto é jurídico e não está ao seu alcance”.

Fonte: Jornal A Tribuna – 13 de outubro, 1956


Postado por Paulo Renato Alves

24 de fevereiro, 2009

7 comentários:

  1. O presidente Getúlio Vargas passou para a História como suicida. Mas na verdade ele foi assassinado; e o nome do assassino é Carlos Frederico Werneck de Lacerda, pois ele foi o causador de tudo. Este fato nos mostra o poder da língua. Antes dele, outro extremista que também sabia manejar muito bem a palavra, mergulhou o mundo nos horrores da Segunda Guerra Mundial: Adolfo Hitler.

    ResponderExcluir
  2. concordo com o amigo, Lacerda é o maior calhorda que nasceu no Brasil! Eu abomino este crápula,que posteriormente se juntou com os milicos ele conseguiu assassinar Vargas .
    Eu abomino este pederasta chamado Carlos lacerda

    J.C.

    ResponderExcluir
  3. como tem gente q fala besteira... comparar Lacerda com Hitler... quem é mais parecido com o H. é o Getulinho querido de vcs... vão estudar!!! ¬¬

    ResponderExcluir
  4. PELO AMOR DE DEUS VOCÊ NO MÍNIMO DEVE SER UM DESSES RICOS OPONENTES QUE NÃO SE PREOCUPAM COM A SITUAÇÃO DO POVO, NÃO É QUE O "GETULINHO" SEJA O QUERIDINHO MAIS ELE SIM FOI O PRESIDENTE QUE MAIS AJUDOU AO INVÉS DE FAZER COMO ESSES POLÍTICOS DE MERDA DE HOJE QUE SÓ SABEM PROMETER, SE PREOCUPAM SÓ CONSIGO MESMO.

    GETÚLIO FOI SIM ASSASSINADO!!! E NÃO SOMENTE POR LACERDA ESSE JORNALISTA MEDÍOCRE,MAIS SIM POR TODOS AQUELES QUE NÃO SOUBERAM RECONHECER SEUS GRANDES FEITOS.

    LACERDA NÃO MERECE MESMO SER COMPARADO COM HITLER. HITLER PELO MENOS NUNCA FORJARIA UM TIRO NO PÉ...

    ResponderExcluir
  5. JOU, VOCÊ PARECE ATÉ QUE É UM "FILHOTE DO NAZISMO, POIS COMPARAR GETÚLIO A HITLER É UM DESCABIMENTO INTELECTUAL. POR ACASO GETÚLIO VARGAS QUERIA COMANDAR E/OU CRIAR UMA RAÇA PURA (NO MUNDO)? OH MEU, VAI ESTUDAR CARA, POIS SE NÃO FOSSE GETULINHO NÃO ESTARÍAMOS NESSE PATAMAR, MAS SIM MUITO PIOR... LAMENTO A SUA COMPARAÇÃO!!!

    ResponderExcluir
  6. Não há provas de que Getúlio Vargas tenha sido assassinado. O que temos são indícios que nos levam a acreditar nessa versão. Portanto, e errado afirmar que "Com certeza" Getúlio foi assassinado a mando de Lacerda.

    ResponderExcluir